sexta-feira, fevereiro 3, 2023
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
InícioESPORTESFórmula 1Magnussen diz que FIA “passa do limite” ao determinar pit-stop por “parte...

Magnussen diz que FIA “passa do limite” ao determinar pit-stop por “parte que não solta” – Grande Prêmio

Kevin Magnussen viveu uma largada complicada no GP de Singapura, disputado no último domingo (3), e um toque com Max Verstappen após os primeiros metros fez com que o dinamarquês revivesse um pesadelo particular na temporada 2022: a bandeira preta com bola laranja. Esse tipo de bandeira indica que o competidor possui uma parte do carro defeituosa, oferecendo perigo aos demais rivais, e o obriga a ir aos boxes trocar a peça.
A questão é que apesar de ser uma regra que foi utilizada poucas vezes — ou nenhuma —, nos últimos anos, já é a terceira vez em 2022 que ela é agitada para o próprio Magnussen: já havia acontecido em Canadá e Hungria. Assim, novamente o piloto saiu incomodado com a interpretação da regra por parte da direção de prova — que teria passado dos limites, em sua opinião.
“Eu nem percebi que houve aquele contato, não sentia nada de diferente no carro”, explicou Magnussen. “A equipe me disse que o dano era pequeno. E era na placa lateral da asa, o que já explicamos à FIA que está presa. Eles deveriam saber disso. Eles fazem as regras. Essa parte não se solta. Então, não é uma preocupação de segurança e aqui nem estava balançando. Passaram dos limites ao agitarem a bandeira preta e laranja”, reclamou.
▶️ Conheça o canal do GRANDE PRÊMIO na Twitch clicando aqui!
▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2
Chefe da Haas, Guenther Steiner opinou em linha parecida ao seu piloto, indicando seu incômodo com a regra, que não teria sido aplicada “nos últimos 12 anos”. Ainda antes de sofrer novamente com a bandeira em Marina Bay, o italiano já havia demonstrado sua insatisfação.
“Algumas decisões que foram tomadas ainda me chateiam”, concordou Steiner. “Em 12 anos, aparentemente não houve bandeira preta e laranja. E agora, em um ano, nós já tivemos duas [antes de Singapura]. Nunca houve um risco de perder as peças do carro. Eles simplesmente inventaram isso, ou não sei onde encontraram essa regra de novo, e agora estão felizes em aplicá-la, especialmente para nós”, disparou.
Por fim, Magnussen espera que possa haver um diálogo entre Haas e FIA, para que se evite uma repetição. O dinamarquês pontuou que os pilotos precisam sentir que podem disputar posições na pista, e tantas punições por alguns toques podem fazer com que as brigas diminuam ainda mais em corridas apertadas. No fim, o piloto terminou em 12º e saiu de Singapura sem pontos.
“Espero que possamos falar com eles de novo, e espero que eles possam perceber o que queremos dizer”, disse Magnussen. “Você precisa poder ter alguns arranhões no carro. Isso é Fórmula 1, você tem que estar disponível para lutar. É claro, eu entendo: se a asa dianteira estiver pendurada, você não quer que ela pare embaixo do carro ou que acerte alguém. Mas é uma parte muito pequena da asa que está presa, então não vai sair”, encerrou.

source

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

%d blogueiros gostam disto: