segunda-feira, dezembro 5, 2022
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
InícioPOLÍTICABrasilEstabilidade, convenhamos, nunca foi o forte da política brasileira - JC Online

Estabilidade, convenhamos, nunca foi o forte da política brasileira – JC Online

“No último ano, porém, é possível identificar certa regularidade da opinião pública em relação a questões sensíveis para a sociedade, com potencial rebatimento eleitoral”. Leia o artigo de Juliano Domingues
Estabilidade, convenhamos, nunca foi o forte da política brasileira. No último ano, porém, é possível identificar certa regularidade da opinião pública em relação a questões sensíveis para a sociedade, com potencial rebatimento eleitoral.
A avaliação do governo federal é um exemplo, conforme pesquisa Ipespe, cujo levantamento mais recente foi divulgado essa semana. Há um ano, o percentual de ruim/péssimo ultrapassou o de ótimo/bom, em um cenário que se intensificou mês a mês até adquirir estabilidade, principalmente no segundo semestre de 2021. Atualmente, 54% consideram o governo Jair Bolsonaro ruim/péssimo; e 24%, ótimo/bom.
Quando a pergunta é se você aprova ou desaprova a maneira como o presidente administra o país, há o mesmo movimento. Há quase um ano, a desaprovação subiu de 45% para 60%, passou a girar próximo a esse patamar e hoje está em 64%. A aprovação seguiu essa tendência, mas em sentido inverso: caiu de 46% para 33% e se manteve por ali, sem altos e baixos significativos, tanto que ficou com 31% nesse último levantamento.
A regularidade marca, ainda, a avaliação quanto à atuação de Bolsonaro no enfrentamento ao coronavírus. A percepção ruim/péssima atingiu 61% em março, variou entre 58% e 54% e estacionou, em janeiro e fevereiro, em 57%. Enquanto isso, a percepção ótimo/bom transitou entre 21% e 22% e chegou aos 23% no mais recente percentual divulgado. Algo semelhante também se verifica quanto à economia. Em março, passou da casa dos 60% – e lá se manteve – o percentual do eleitorado convencido de que o país está no caminho errado, sendo 63% o número mais recente.
Oscilação relativamente discreta também aparece quando a pergunta é sobre intenção de votos, conforme pesquisa Quaest, cuja rodada mais recente foi divulgada essa semana. Observados os números desde julho do ano passado, na estimulada para 1º turno (quando é apresentada ao eleitor a lista dos candidatos), o ex-presidente Lula foi de 44% a 48% e, no último levantamento, ficou em 46%. Bolsonaro, depois de variar entre 28% e 21%, chegou, agora, a 24%.
Em meio a tantas incertezas, o eleitorado parece convencido de que o atual governo é um desastre e que Lula representa a alternativa em 2022. Essa percepção demonstra algum grau de solidez ao longo do tempo, associada a dois temas absolutamente sensíveis e intercambiáveis: economia e saúde.
Juliano Domingues, jornalista e cientista político, é professor da Universidade Católica de Pernambuco.
 

Assine o JC com planos a partir de R$ 3,50 e tenha acesso ilimitado a todo o conteúdo do jc.com.br, à edição digital do JC e ao JC Clube, nosso clube de vantagens e descontos que conta com dezenas de parceiros.
Sócio JC CLUBE tem acesso a conteúdos exclusivos e vários benefícios.
Sobre
Coordenador da Cátedra Luiz Beltrão de Comunicação da Unicap e membro Codec.
É o fato ou acontecimento de interesse jornalístico. Pode ser uma informação nova ou recente. Também diz respeito a uma novidade de uma situação já conhecida.
Texto predominantemente opinativo. Expressa a visão do autor, mas não necessariamente a opinião do jornal. Pode ser escrito por jornalistas ou especialistas de áreas diversas.
Reportagem que traz à tona fatos ou episódios desconhecidos, com forte teor de denúncia. Exige técnicas e recursos específicos.
É a interpretação da notícia, levando em consideração informações que vão além dos fatos narrados. Faz uso de dados, traz desdobramentos e projeções de cenário, assim como contextos passados.
Texto analítico que traduz a posição oficial do veículo em relação aos fatos abordados.
É a matéria institucional, que aborda assunto de interesse da empresa que patrocina a reportagem.
Conteúdo que faz a verificação da veracidade e da autencidade de uma informação ou fato divulgado.
É a matéria que traz subsídios, dados históricos e informações relevantes para ajudar a entender um fato ou notícia.
Reportagem de fôlego, que aborda, de forma aprofundada, vários aspectos e desdobramentos de um determinado assunto. Traz dados, estatísticas, contexto histórico, além de histórias de personagens que são afetados ou têm relação direta com o tema abordado.
Abordagem sobre determinado assunto, em que o tema é apresentado em formato de perguntas e respostas. Outra forma de publicar a entrevista é por meio de tópicos, com a resposta do entrevistado reproduzida entre aspas.
Texto com análise detalhada e de caráter opinativo a respeito de produtos, serviços e produções artísticas, nas mais diversas áreas, como literatura, música, cinema e artes visuais.
+ INFORMAÇÃO
+ ENTRETENIMENTO
+ SUPER VANTAGENS
Fique por dentro de tudo que acontece, assine o Jornal do Commercio.
Jornal @ 2022 – Uma empresa do grupo JCPM
PARA SOLICITAÇÃO DE LICENCIAMENTO, CONTACTAR EDITORES@NE10.COM.BR

source

RELATED ARTICLES

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Most Popular

%d blogueiros gostam disto: